A bicicleta completa 200 anos

Em 1817, o barão Karl von Drais fez os primeiros testes com a precursora da bicicleta. Em sua evolução, ela teve diversas formas, algumas até exóticas.

A "roda para andar"
O barão Karl von Drais era, na realidade, guarda florestal, mas com enorme talento para física e matemática. Algumas de suas invenções continuaram sendo desenvolvidas por outras pessoas. Como o "carro sem cavalos", que mais tarde se desenvolveria no trole. Seu invento mais importante foi a precursora da bicicleta, a "draisine", que chamou de "máquina de andar".

Da draisine ao velocípede
A partir da "máquina de andar", o francês Pierre Michaux desenvolveu em 1861 uma bicicleta impulsionada por pedais, chamada "michauline". Seu compatriota Pierre Lallement a aperfeiçoou e patenteou o termo "Velocípede de Lallement". Ele, no entanto, não parecia muito confortável. A tração dianteira exigia esforço e era difícil manter o equilíbrio.

A geração seguinte
Em 1870, o inglês James Starley inventou a "Hochrad" (roda alta) Ariel. Graças ao mecanismo de impulsão da enorme roda dianteira, ela andava muito mais rápido, mas também era extremamente instável. Sozinho, não se podia subir nela. E, em caso de acidente, o condutor podia sofrer graves ferimentos.

Primeira Volta da França
Em 1870, a bicicleta alta foi superada pela "normal", mais baixa, com correia dentada e pneu com câmera de ar. A famosa corrida ciclística Volta da França aconteceu pela primeira vez em Paris em 1º de julho de 1903, com 60 participantes. Entre as etapas estavam Lyon, Marselha, Toulouse, Bordeaux e Nantes. A competição, de 2.428 quilômetros, foi vencida pelo francês Maurice Garin (camisa clara).

Irmãos Opel
Nesta foto de 1895 aparecem os filhos do fabricante alemão Adam Opel. Todos eles eram bons ciclistas e tornaram popular a bicicleta da marca Opel. Nos anos 1920, Opel era a maior fabricante de bikes do mundo, ao lado da então já bem-sucedida fabricação de automóveis.

Correr nas ruínas
Para superar a triste rotina entre as ruínas após a Segunda Guerra Mundial, as pessoas tiveram de ser muito criativas. Não havia muitas possibilidades na Alemanha pós-guerra. Era preciso saber aproveitar o que havia à disposição. Na foto de 1953, crianças e jovens construíram um velódromo em Berlim usando restos dos escombros.

Por cima do muro
Esta foto foi tirada em Viena. Os homens se apoiam em suas bicicletas para assistir a uma partida de futebol. O mesmo aconteceu em Colônia em 2015 em Colônia, quando a banda AC/DC tocou em um campo. Centenas de pessoas assistiram ao show da cerca, sobre suas bikes.

Desafio de bike
Para marcar o recorde mundial, o inventor Frank Dose teve de mover com esforço próprio sua "bicicleta" de 1.080 quilos por uma distância de 100 metros. Ele teve a ideia ao conversar com os organizadores do festival de Wacken. Ele fabricou a bike usando sucata e duas rodas de caminhão.

Bike de ancinhos
O designer Dieter "Didi" Senft é conhecido por suas bikes exóticas. Seus modelos já lhe renderam vários recordes. Esta peça feita com 111 ancinhos tem quatro metros de comprimento e dois de altura. O dono garante que ela anda.

Como anda isso?
O colecionador de bikes Ulrich Teige é especializado em bicicletas curiosas. Em seu museu Pedalwelt ele tem riquixás e outros veículos com rodas de tração humana, como esta bike de dois sentidos. Uma pessoa pedala para a frente e a outra, para trás.

Volta ao mundo
Bicicletas de bambu são tão estáveis, que aguentam voltas pelo globo. Karina e Tim Poser (foto) pedalaram de Hamburgo até Chengdu, na China. Estas bikes produzidas por meio de projetos de ajuda social em Gana e na Alemanha andam 12 mil quilômetros praticamente sem panes.

Para aparecer
Hoje em dia, há bicicletas em várias formas, cores e gostos. Há aquelas em que se anda praticamente deitado, outras são extremamente altas (tallbikes) e há as fatbikes, com pneus absurdamente grossos. Na foto, uma cruiser. Estas bicicletas são especialmente confortáveis e chamam a atenção pelo seu tamanho, e por isso oferecem espaço para propaganda.

Prático para a festa
Um balcão, vários assentos e um barril. Tudo sobre um chassi de bicicleta, impulsionada por até dez pessoas pedalando – e bebendo. Um tem que ficar sóbrio para dirigir no trânsito urbano. Mas, devido às incomodações, muitas cidades alemãs já proibiram este tipo de diversão.

Cinco rodas em Pequim
Aqui mais um exemplo de transformação criativa: nos Jogos Olímpicos de 2008 em Pequim este ciclista acrescentou mais três rodas a sua bike, transformando a bicicleta em símbolo dos Jogos, nas cores dos anéis olímpicos.

"Nine Million Bicycles"
Durante muito tempo, Pequim foi considerada a capital mundial das bicicletas. Hoje em dia, no entanto, os automóveis dominam as ruas da metrópole chinesa. Mas desde a balada romântica de Katie Melua "Nine Million Bicylces (in Beijing)", de 2005, todos acreditam que a cidade tenha tantas bicicletas.

Meio de transporte perigoso
Há muitos anos, as cidades são comparadas conforme as facilidades oferecidas a ciclistas. Adis Abeba, na Etiópia, tem o desempenho influenciado por buracos nas ruas, rebanhos de animais e motoristas imprudentes. Mesmo assim, agricultores ousados transportam seus animais de bike. A cidade referência mundial em conforto para ciclistas é Copenhague, na Dinamarca.

Bike de fechar
Antigamente, as bicicletas eram dobráveis ao meio. Hoje em dia, são mais leves e já podem ser fechadas e dobradas várias vezes, facilitando o transporte. Muitas pessoas que andam de trem ou ônibus, as usam para encurtar o resto do caminho até o trabalho ou a casa. Uma bicicleta normal exige pagamento de passagem no transporte coletivo, já a dobrável é menor e não exige bilhete.

Bromptonmaniacs
A bicicleta dobrável "Brompton" virou mania não só no Reino Unido, mas também nos Estados Unidos e no Japão. É como uma "Mercedes" entre as bikes dobráveis, pela qualidade e por ser muito rápida. Londres e Nova York têm a cada ano campeonatos mundiais. E não ganha só quem chega na frente, também quem veste a roupa mais original.

Bike com "ajudinha"
Há vários tipos de bikes com motores elétricos, inclusive as que não exigem nenhum esforço no pedal. Na maioria dos pedelec (Pedal Electric Cycle) o motor aumenta a força feita nos pedais. Há muito tempo, esta bike deixou de ter a fama de só servir a preguiçosos e idosos. O motor também existe para corredores e praticantes de mountainbike.

Casamento sobre duas rodas
Se essa não é uma declaração de amor à bicicleta... Enquanto alguns pagam fortunas por limusines luxuosas para a cerimônia de casamento, este par de noivos parte para a lua de mel de bike em Pequim. Casamentos de bicicleta são cada vez mais usuais, mesmo entre celebridades. A irmã da estrela pop Beyonce, Solange Knowles, e seu noivo, foram de bicicleta branca para o casamento.

 

 


fonte: DW