Crianças sem cicatriz vacinal não precisam tomar nova dose de BCG

Recomendação tem como base estudos publicados pela Organização Mundial da Saúde em 2018

Dose da vacina deve ser aplicada quando a criança nascer - Foto: Sumaia Villela/Agência Brasil

Principal forma de prevenção contra a tuberculose, a vacina BCG não precisa mais ser reaplicada quando a criança não apresentar cicatriz vacinal. A recomendação foi encaminhada pelo Ministério da Saúde a estados e municípios na última sexta-feira (1) e está de acordo com as novas determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Comitê Técnico Assessor de Imunizações (CTAI).

A vacina BCG deve ser administrada quando a criança nasce, em dose única. Se não for possível aplicá-la ainda na maternidade, os pais devem procurar uma das mais de 36 mil salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e realizar a imunização da criança o mais rápido possível. O serviço é totalmente gratuito.

Em 2017 – último ano com dados consolidados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI) –, a cobertura vacinal da BCG apresentou um dos maiores índices de adesão no País: 96,2%. A imunização previne as formas graves da doença, como a miliar e a meníngea.

 

 

 


Fonte: Ministério da Saúde