Outubro Rosa – Alimentos podem ser aliados de quem está em tratamento contra o câncer

Comer bem ajuda tanto no sucesso do tratamento quanto na diminuição dos sintomas


A alimentação é importante em qualquer circunstância e fase da vida. Os alimentos são o combustível para o nosso corpo funcionar bem e realizar as atividades do dia a dia. Por esse motivo é tão importante selecionar o que é colocado para dentro. Mas para quem está lutando contra o câncer, a alimentação saudável pode ser um recurso a mais para o sucesso do tratamento.

Você sabe que é o câncer?
Antes de falar sobre o impacto da alimentação no tratamento do câncer, vamos entender do que se trata a doença. Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), o câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células.

Nosso corpo é formado por tecidos, que são formados por células. Normalmente, elas crescem e morrem de modo ordenado e regular. Algumas células que adoecem passam a ter um crescimento “anormal”, que compromete os órgãos e tecidos próximos ou distantes da origem do problema. Quando o câncer atinge outras áreas, estamos falando da metástase.

O tratamento: cirurgia, quimioterapia e radioterapia
No caso do câncer de mama, em estágio inicial, a cirurgia é o principal tratamento e inclui a intervenção cirúrgica nas mamas e axilas. Evolutivamente, os procedimentos caminham de tratamentos mais agressivos para menos invasivos e com maior ganho cosmético, sem afetar a curabilidade das pacientes, conforme a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (CONITEC/MS - 2018). Mas além da cirurgia, o tratamento inclui também a quimioterapia, ou ainda a combinação desses procedimentos.

Quimioterapia
Nesse caso, são utilizados medicamentos específicos para combater o câncer. Os remédios podem ser aplicados via oral (pela boca), intramuscular (pelo músculo), subcutânea (abaixo da pele), tópica (sob a pele), intratecal (pela espinha dorsal) e intravenosa (pela veia), sendo o último método o mais comum.

Radioterapia
Segundo o INCA, a radioterapia utiliza radiações ionizantes (raio-x, por exemplo) para destruir as células de tumor ou impedir que elas cresçam. O tratamento pode ser feito de duas formas: externa, a radiação é emitida por um aparelho direcionado ao local a ser tratado, ou interna (branquiterapia), quando uma fonte de radiação é colocada dentro do local a ser tratado.

A alimentação como aliada
Quem passa pelo tratamento contra o câncer experimenta alguns efeitos colaterais que podem ser suavizados com alimentos estratégicos, conforme o INCA orienta. Além da alimentação, existem ainda algumas orientações gerais que incluem: fazer de 5 a 6 refeições, de 3 em 3 horas; comer devagar e mastigar bem os alimentos; beber pelo menos 2 litros de líquidos por dia; reduzir consumo de sal, gorduras, frituras, embutidos, temperos prontos e leite integral; evitar bebida alcóolica.

Se você está em tratamento ou conhece alguém nessa situação, confira os alimentos recomendados pelo INCA que podem amenizar o desconforto em caso de:

Prisão de Ventre
Opte por alimentos ricos em fibras, como vegetais folhosos (agrião, alface, acelga, brócolis, espinafre, couve), legumes (abóbora, beterraba, abobrinha, vagem), frutas (mamão, laranja com bagaço, acerola, ameixa, tangerina, caqui, uva com casca, banana d´água e pera), leguminosas (feijão, soja, lentilha, grão de bico, milho), pão, biscoito e cereais integrais, farelo de trigo ou de aveia. Aproveite ao máximo as cascas e talos dos alimentos para usufruir das fibras contidas neles. Além disso, é muito importante aumentar a ingestão de líquidos. Isso ajuda a manter a consistência das fezes.

 

Diarreia
Aposte nos alimentos que controlam ou evitam a diarreia. Frutas como: banana, maçã, pera e goiaba sem casca e sem sementes, caju, maracujá, melão e melancia. Legumes cozidos como: batata, beterraba, cenoura, chuchu, mandioca, inhame, cará e abobrinha sem casca.

E também nos cereais, como: arroz, macarrão, fécula de batata, farinha de arroz, creme de arroz, maisena, pão (de preferência torrado), biscoito cream cracker, biscoito maisena, torrada e farinha de tapioca (goma).

Proteínas magras, de preferência assadas, cozidas ou grelhadas, também ajudam. Como: ovo cozido, carnes vermelhas sem gordura, frango sem pele, peixe sem couro. Chás como: preto, mate, erva-doce, erva cidreira, canela, camomila, hortelã e maçã.

É fundamental evitar os alimentos gordurosos, fritos, enlatados, apimentados e condimentados (entram em algumas dessas categorias o amendoim, nozes, castanhas, amêndoas, coco e café). Importante também evitar os que têm efeito laxante, como verduras cruas (vegetais folhosos), mamão, laranja, ameixa, aveia, trigo, linhaça, chocolate e alimentos açucarados.

Em caso de diarreia persistente, recomenda-se ainda evitar o consumo de leite de vaca. É essencial aumentar a ingestão de líquidos para evitar a desidratação.

Excesso de gases
Evite os alimentos que fermentam e formam maiores quantidades de gases, como: condimentos picantes, batata-doce, agrião, berinjela, couve-flor, couve-manteiga, repolho, mostarda, soja, caroço de feijão, ervilha seca, aveia, ovos e vísceras (rim, coração, fígado, miolo). É importante também evitar as bebidas gaseificadas.

Enjoo e Vômito
Dê preferência para alimentos frios ou em temperatura ambiente. Assim como no caso anterior, é preciso evitar as comidas gordurosas, condimentadas e picantes, alimentos muito quentes, carnes vermelhas, alimentos muito doces e com cheiro forte. E não ficar muito tempo sem comer, pois isso piora os sintomas. Dê preferência às frutas cítricas, como limão, maracujá, uva e morango.

Alterações de paladar e olfato
Escolha alimentos ricos em zinco e cobre, que ajudam a recuperar o paladar, tais como milho, feijão, cereais de trigo, aveia, ovos, carne assada, ervilhas, pães integrais, vegetais folhosos escuros.

A carne vermelha deve ser evitada por aqueles que estiverem sentindo gosto metálico na boca. Já para quem estiver sentido uma sensação de sabor doce ao ingerir preparações salgadas, adicionar algumas gotas de limão e pitadas de sal pode ajudar.

Feridas na boca
Evite alimentos ácidos, condimentados, de consistência dura e quentes.

Sensação de boca seca
Aumente o consumo de frutas cítricas e com alto teor de líquidos, como abacaxi, laranja e morango. Em relação à água, adicione algumas gotas ou rodelas de limão. Mascar chicletes, de preferência os de menta ou cítricos, aumenta a produção de saliva, assim como chupar gelo ou picolé.

Anemia, leucopenia e trombocitopenia
Mantenha uma dieta rica em legumes, frutas, verduras, cereais e pobre em gorduras. E lembre-se: nesses casos, as defesas do organismo estão vulneráveis e, por isso, a alimentação deve ser segura para evitar a contaminação por bactérias e outros micro-organismos. Tome sempre o cuidado de higienizar muito bem as mãos e os alimentos, evite o consumo se a embalagem estiver violada e a ingestão de alimentos crus.

 

Você sabia?
Leucopenia: trata-se da redução das células de defesa do corpo, que são os chamados glóbulos brancos ou leucócitos.

Trombocitopenia: trata-se da redução do número de plaquetas do sangue, que são células responsáveis pela coagulação.

É bom lembrar!
É muito importante consultar um médico ou nutricionista antes de seguir alguma dieta, principalmente em caso de agravamento dos sintomas. As orientações individualizadas não devem ser desconsideradas, e sim somadas às nossas dicas que foram dadas nesta matéria.

 

 


fonte: saudebrasil

Curiosidades da história

More Articles

Tecnologia

More Articles