Santa Catarina registra recordes em doações e transplantes de órgãos em 2019

Santa Catarina comemora recordes na doação e transplantes de órgãos. A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da SC Transplantes, registrou 332 doadores efetivos em 2019, 45 a mais em relação a 2018.

O estado também teve o melhor desempenho da história nos transplantes: foram 1507 procedimentos, contra 1217 registrados em 2018 e 2017. A melhor marca até então era de 2014, quando Santa Catarina contabilizou 1386.

Foto: Mauricio Vieira / Arquivo / Secom

Nos últimos anos, as doações saltaram de 120, em 2009, para 332, em 2019. O estado ainda obteve outras conquistas, como os recordes mensais de doações em fevereiro (24), julho (34), setembro (43) - considerado o melhor mês da série histórica – e dezembro (38).

Esse resultado garantiu a Santa Catarina 47,4 doadores efetivos por milhão de população (pmp). Para que se tenha ideia do que representa esse número, a Espanha registrou 48,9 doadores pmp em 201, sendo que o país europeu é líder mundial em doação de órgãos há 30 anos.

Artes: Heber Coimbra / Secom

O secretário da Saúde, Helton de Souza Zeferino, elogia o desempenho das equipes profissionais envolvidas em todo o processo. “O nosso agradecimento especial aos colaboradores de hospitais, aos que possibilitaram o transporte de órgãos e tecidos, realizaram treinamentos e capacitações. Enfim, contamos com uma cadeia especial de colaboradores que fizeram com que Santa Catarina recuperasse a primeira colocação do país em doação de órgãos”, afirmou.

Uma das medidas citadas pelo secretário e que impactaram neste resultado foi a decisão do governador Carlos Moisés, no início de 2019, de ceder a aeronave, até então de uso exclusivo do chefe do Executivo, para transporte de órgãos. A ação tornou mais ágil e facilitou o processo de doações e transplantes.

O coordenador estadual da SC Transplantes, Joel de Andrade, também ressalta a atuação das equipes profissionais espalhadas pelo estado, que foram fundamentais para os ótimos resultados alcançados em 2019. Um dos pontos destacados foi a redução da recusa dos familiares em doar os órgãos.

“A queda na taxa da não autorização das famílias representa um avanço histórico. Em 2007 registrávamos 70% de negativa e em 2019 chegamos a 25,2%, que é uma taxa excelente e equivalente às melhores do mundo. Os processos de treinamento e comunicação adequada para essas situações críticas foram essenciais para esse desempenho. A evolução destas variáveis é motivo de grande orgulho para a SES e SC Transplantes e consolida a postura solidária da população catarinense”, diz.

Nas duas décadas de atuação da SC Transplantes, foram realizados mais de 16,3 mil transplantes.

 

 

 


fonte
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES

Saúde & Bem Estar

More Articles

Curiosidades da história

More Articles

Tecnologia

More Articles