Dia da Imunização reforça a importância de manter o calendário vacinal em dia

O Dia da Imunização é nesta terça-feira, 9 de junho. Data importante para reforçar a importância de estar com a caderneta de vacinação atualizada, em todas as idades.

Isso porque as vacinas são um importante instrumento para evitar uma enorme variedade de doenças, as complicações decorrentes delas e até mesmo a morte.

Foto: Mauricio Vieira / Secom

De acordo com a médica infectologista da Secretaria de Saúde de Santa Catarina, Lígia Castellon, manter a vacinação em dia é essencial para blindar o organismo contra as doenças que ameaçam a saúde de toda a população. Além disso, ao se vacinar, você resguarda a si mesmo e a quem está ao seu redor. “As vacinas têm poder de proteção tanto individual quanto coletivo. Quando se deixa de vacinar uma pessoa, outra, eventualmente ainda não protegida, também é colocada em risco”, explica a médica.

São oferecidas na rede pública de saúde 19 vacinas para mais de 20 doenças. Essas vacinas estão disponíveis nas unidades de saúde de todos os 295 municípios catarinenses para crianças, adolescentes, adultos, idosos e gestantes e protegem contra doenças como gripe, febre amarela, sarampo, tétano, varicela, difteria, meningite, entre outras.

A gerente de imunização da Secretaria de Saúde de Santa Catarina, Lia Quaresma Coimbra, lembra que muitas doenças que eram comuns no país como a poliomielite, o tétano, a rubéola, a coqueluche, deixaram de ser um problema de saúde pública devido a ampla vacinação da população. No entanto, o relaxamento fez com que algumas doenças já erradicadas no país, como é o caso do sarampo, voltassem a contagiar as pessoas.

Para se vacinar, basta comparecer a um posto de saúde com um documento com foto. Também é importante levar o cartão de vacinação, se tiver.

As vacinas no corpo humano
A médica infectologista explica que as vacinas têm como objetivo estimular o sistema imunológico de uma pessoa a reconhecer um determinado microrganismo como uma ameaça e a criar uma espécie de memória, ou seja, produzir anticorpos contra ele. Assim, quando essa pessoa entra em contato novamente com o mesmo vírus ou bactéria, o corpo já sabe qual é a natureza do invasor e como combatê-lo, evitando a instalação da doença. Desta forma, é possível dizer que a pessoa está imunizada.

Outra informação importante com relação às vacinas é que elas são seguras. “Vale ressaltar que as vacinas não utilizam os microrganismos como eles existem no ambiente. Elas são fabricadas com vírus e bactérias modificados em laboratório. Os microrganismos contidos nas vacinas, estão mortos ou foram enfraquecidos previamente, sendo incapazes de provocar doenças em pessoas saudáveis”, esclarece.

Toda vacina licenciada para uso, passou antes por diversas fases de avaliação. Desde os processos iniciais de desenvolvimento, até a produção e a fase final que é a aplicação, garantindo assim a sua segurança. Uma vigilância continua acontecendo depois que a vacina é licenciada, permitindo a continuidade do monitoramento a segurança do produto.

Vacinas disponíveis na rede pública de saúde
BCG: previne as formas graves de tuberculose, principalmente miliar e meníngea
Hepatite B: previne hepatite B
VIP/VOP: previne poliomielite
Pentavalente: previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções causadas pelo Haemophilus influenzae B
Rotavírus humano: previne diarreia por rotavírus
Pneumocócica 10: previne a pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo pneumococo
Pneumocócica 23 Valente: previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo
Meningocócica C: previne doença meningocócica do sorogrupo C
Meningocócica ACWY: previne doenças meningocócicas dos sorogrupos ACW
DTP: previne difteria, tétano e coqueluche
Tríplice viral: previne sarampo, caxumba e rubéola
Tetra viral: previne sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora)
Febre amarela: previne febre amarela
Hepatite A: previne hepatite A
HPV: previne o papiloma, vírus humano que causa cânceres e verrugas genitais
Varicela atenuada: previne varicela/catapora
Dupla adulto (dT): previne difteria e tétano
dTpa (Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto): previne difteria, tétano e coqueluche
Influenza: previne gripe
Confira aqui o calendário vacinal - arquivo em PDF

 

 


fonte
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
NUCOM - Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde

Saúde & Bem Estar

More Articles

Curiosidades da história

More Articles

Tecnologia

More Articles