Ciclone em SC: 135 municípios catarinenses registram danos após evento climático

Subiu para 135 o número de municípios que reportaram estragos por conta da passagem de um ciclone extratropical em Santa Catarina.

A informação está no mais recente boletim divulgado pela Defesa Civil, por volta das 8h desta quinta-feira, 2. Os fortes ventos provocaram a morte de nove pessoas e duas seguem desaparecidas, em Tijucas e Brusque. A Defesa Civil contabiliza ainda seis pessoas feridas.

Trabalhos na quarta-feira em Florianópolis. Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Carlos Moisés ressalta que o trabalho das equipes de Governo seguirá ao longo do dia para garantir o atendimento a todas as ocorrências. Ele lembra que o número de chamados foi muito acima da média por conta do evento climático.

“Ainda há muito o que fazer ao longo desta quinta-feira. Temos milhares de residências sem energia, por exemplo, e o trabalho dos órgãos de Governo será incansável até que tudo esteja restabelecido”, afirmou o governador.

O número de residências atingidas pelo vendaval segue em atualização. De acordo com o levantamento, foram ao menos 2,2 mil unidades habitacionais danificadas no estado. Pelo menos 83 rolos de lona já foram distribuídos.

Segundo o boletim da Defesa Civil, cerca de 275 mil unidades consumidoras permaneciam sem energia na manhã desta quinta-feira. Esse número chegou a 1,5 milhão na terça-feira. Equipes da Celesc seguem nas ruas para restabelecer o fornecimento.

Levantamento de estragos em escolas
Técnicos da Secretaria de Estado da Educação (SED) realizam, desde a quarta-feira, um levantamento em todas as regiões do Estado para catalogar os danos causados pelo ciclone nas escolas da rede estadual de ensino. O trabalho deve ser concluído ainda nesta semana. Em seguida, será elaborado um plano de ação para recuperar os danos à infraestrutura das unidades.

Foto: Coordenadoria Regional de Palmitos / Divulgação

Apenas na Grande Florianópolis, a coordenadoria regional de Educação registrou estragos em pelo menos 33 escolas. Em Jaraguá do Sul, a regional aponta para prejuízos em 22 escolas.

As principais ocorrências são de danos à rede elétrica, destelhamentos de salas de aula e ginásios, queda de forros, alagamentos, queda de árvores sobre parte dos imóveis e prejuízos com o mobiliário escolar.

Rajadas chegaram a 93km/h na quarta
Embora o ciclone já estivesse em alto mar, a quarta-feira registros fortes rajadas de vento em Santa Catarina no período da manhã. Em São Joaquim, o vento chegou a 93 km/h, enquanto em Criciúma a velocidade também ultrapassou os 90 km/h.

Ciclone em SC: Equipes do Governo fecham segundo dia de trabalho intenso no reparo dos danos

Foto: Divulgação/ CBMSC

A quarta-feira, 1, foi mais um dia de muito trabalho para as equipes do Governo do Estado que atuam nos reparos dos estragos provocados pela passagem do ciclone extratropical, na última terça-feira, 30. Durante a tarde, o governador Carlos Moisés conversou com representantes do Governo Federal em busca de apoio para a reconstrução das cidades atingidas. Até a tarde desta quarta-feira, nove óbitos foram confirmados em Santa Catarina e duas pessoas continuam desaparecidas.

“Lamentamos as mortes ocorridas nesta catástrofe e continuaremos atuando firmes para minimizar o sofrimento das pessoas atingidas. Estamos buscando apoio do Governo Federal para que a reconstrução seja rápida. É o momento de nos unirmos para vencer mais este desafio”, disse o governador Carlos Moisés.

Conversas com o Governo Federal

O governador Carlos Moisés fez contato com lideranças do Governo Federal para atualizá-los sobre a situação de Santa Catarina e buscar recursos para a reconstrução. Junto da deputada federal Carmen Zanotto, e do senador Jorginho Mello, o chefe do Executivo Estadual conversou com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que colocou a Defesa Civil nacional à disposição do Estado.

Carlos Moisés também conversou com outros parlamentares, como o deputado federal Daniel Freitas, coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, e o deputado federal Fábio Schiochet.

Equipes do Governo seguem trabalhando nos reparos

Foto: Divulgação/ DCSC

O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) está trabalhando desde a tarde de ontem, 30, para auxiliar a população e minimizar os estragos dos fortes ventos e chuvas decorrentes do chamado ciclone “Bomba”.

Os principais registros recebidos pelo CBMSC foram de queda de árvores e destelhamentos. Todos os batalhões registraram ocorrências, empregando mais de 1.450 bombeiros militares, 674 bombeiros comunitários, 402 viaturas, além de duas equipes de força-tarefa e um cão de busca.

Óbitos registrados até o momento:

- Chapecó: uma idosa, de 78 anos, vítima de queda de árvore;
- Santo Amaro da Imperatriz: um homem, atingido por fiação elétrica;
- Tijucas: 03 vítimas após desabamento de galpão;
- Ilhota: um homem de 59 anos;
- Governador Celso Ramos: um homem de 59 anos;
- Rio dos Cedros: um homem de 73 anos;
- Itaiópolis: mulher, 37 anos, vítima de queda de árvore.

Duas vítimas seguem desaparecidas, uma na cidade de Canelinha e outra na cidade de Brusque. Na cidade de Brusque, mergulhadores do CBMSC estão em busca de um homem que caiu de uma ponte pênsil.

Defesa Civil

Técnicos da Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) continuam fazendo o levantamento dos prejuízos causados pelo ciclone. O chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, percorreu municípios da região Serrana e está coordenando o trabalho de reparo dos danos em todo o Estado. Segundo ele, a atuação integrada dos órgãos governamentais garante mais eficiência no atendimento às ocorrências.“Todos os itens de assistência humanitária estão sendo ofertados pelo Governo do Estado”, destacou.

João Batista também conversou com o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves.O Governo Federal deverá aportar recursos para a reconstrução de danos materiais no Estado, como reparos em edificações públicas. O trabalho de levantamento da extensão dos prejuízos vai dar a dimensão dos valores.

Foto: Divulgação/ SED

Celesc

Às 18h desta quarta-feira, 01, aproximadamente um milhão de unidades consumidoras já estavam com a energia restabelecida. Os trabalhos de reparo na rede de distribuição de energia elétrica começaram na tarde de terça-feira, 30, envolvendo algo em torno de 1,3 mil profissionais, divididos em 300 equipes pelo Estado.

O ciclone provocou estragos em todas as regiões e, segundo a empresa, foi a situação mais grave já registrada em toda a história da empresa.

Depois da passagem do ciclone, ainda na noite de terça-feira, aproximadamente 1,5 milhão de unidades consumidoras (UCs) ficaram sem energia na região de concessão da empresa.

Atualmente, o Call Center para emergências da Celesc - 0800 48 0196 - está funcionando, mas devido à alta demanda pode ocorrer atraso no atendimento ou na identificação dos locais com defeito na rede de distribuição. Os consumidores também podem se comunicar com a empresa por meio do site e do aplicativo.

A Celesc continua orientando a população a ficar em casa e não se aproximar de locais próximos da rede elétrica, para evitar acidentes.

Rodovias

Segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (SIE), os pontos de obstrução causadas por conta da queda de árvores e postes, em rodovias estaduais, já foram liberados. O trabalho de limpeza nas pistas, em alguns trechos, seguirá até a próxima sexta-feira.

 

 

 

 


fonte: Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
Francieli Dalpiaz
Assessoria de Imprensa
Governo de Santa Catarina

Saúde & Bem Estar

More Articles

Curiosidades da história

More Articles

Tecnologia

More Articles