FUMAN INTENSIFICA FISCALIZAÇÃO DE REDES FEITICEIRAS

O aparecimento de tartarugas mortas por causa das redes de pesca fixas, as chamadas redes feiticeiras, nas praias do Vale do Itajaí, tem colocado os órgãos ambientais em alerta.

Em Navegantes, os fiscais da Fundação Municipal do Meio Ambiente – FUMAN estão intensificando a fiscalização.


O aparecimento de tartarugas mortas por causa das redes de pesca fixas, as chamadas redes feiticeiras, nas praias do Vale do Itajaí, tem colocado os órgãos ambientais em alerta. Em Navegantes, os fiscais da Fundação Municipal do Meio Ambiente – FUMAN estão intensificando a fiscalização.

Conforme o superintendente da FUMAN, Leandro Amaral, a utilização de redes fixas, como a feiticeira, é considerada crime ambiental, conforme artigo 34 da Lei 9605 e normativas do Ibama e ICMbio, com pena de detenção de um ano a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

A fiscalização ambiental orienta que a única rede permitida é a de caceio, que possui pano simples, com apenas uma malha, não oferecendo perigo à vida dos animais marinhos que precisam voltar à superfície para respirar, já que não ficam presas na rede, como acontece com as ilegais.

Denuncie

Em caso de flagrante de pesca com rede feiticeira, a orientação é que o cidadão ligue na FUMAN e denuncie, para que a fiscalização ambiental possa ir até o local. O telefone é o (47) 3185-2015.

 

 

 

 

 

 


fonte: Secretaria de Comunicação
FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE
Texto: Louise Benassi - SC 002880/JP