Cristiano Ronaldo é denunciado por fraude fiscal na Espanha

Jogador do Real Madrid fraudou 14,7 milhões de euros em impostos entre 2011 e 2014, acusa procuradoria espanhola. Valores provenientes da venda de direitos de imagem teriam sido encobertos por meio de empresas-fantasma.


Cristiano Ronaldo: caso de fraude fiscal é mais um envolvendo jogadores de futebol na Espanha

A Procuradoria de Madri apresentou uma denúncia nesta terça-feira (13/06) contra Cristiano Ronaldo, alegando suposta fraude fiscal. O jogador de futebol português teria sonegado entre 2011 e 2014 um valor total de 14,7 milhões de euros (cerca de 54 milhões de reais).

A denúncia acusa o atleta do Real Madrid de ter cometido quatro crimes contra o Fisco espanhol. Os valores ocultados, segundo a promotoria, foram de 1,39 milhão de euros em 2011, 1,66 milhão em 2012, 3,2 milhões em 2013 e 8,5 milhões em 2014.

"O acusado se aproveitou de uma estrutura de empresas criada em 2010 para esconder das autoridades fiscais espanholas quantias recebidas na Espanha por direitos de imagem, o que representa uma violação voluntária e consciente de suas obrigações fiscais no país", diz o texto.

A procuradoria acusou Cristiano de ter declarado uma renda de 11,5 milhões de euros entre 2011 e 2014, enquanto seu rendimento foi, na verdade, de quase 43 milhões de euros nesses período. O jogador ainda teria afirmado que a renda era proveniente de imóveis, a fim de reduzir os impostos.

Além disso, a denúncia afirma que o português deixou de declarar, de forma intencional, uma receita de 28,4 milhões de euros relacionada à venda de seus direitos de imagem de 2015 a 2020 a uma empresa espanhola.
Cristiano Ronaldo, que joga com a seleção portuguesa a Copa das Confederações neste mês na Rússia, foi recentemente nomeado o atleta mais bem pago do mundo pela revista Forbes.

Em novembro de 2011, o jogador optou pela aplicação do regime fiscal da Espanha, aplicável aos trabalhadores estrangeiros que atuam no país. Dessa forma, ele teria que ser taxado em 24% naquele ano e em 24,75% nos anos seguintes pelos rendimentos recebidos.

Esse não é o primeiro caso de fraude fiscal envolvendo estrelas do futebol na Espanha. No ano passado, o argentino Lionel Messi, do Barcelona, foi condenado a 21 meses de prisão e uma multa de 2,1 milhões de euros, por fraudar o Fisco espanhol em 4,2 milhões de euros, entre 2007 e 2009, num caso envolvendo direitos de imagem e o suposto uso de empresas-fantasma para ocultar lucros.

 

 

 


fonte: DW
EK/ap/dpa/efe/lusa

Saúde & Bem Estar

More Articles

Tecnologia

More Articles