Troféu Brasil de judô chega ao fim com judocas de 17 clubes no pódio

Competição reuniu 396 atletas em dois dias de disputas em Brasília. Pinheiros somou 17 medalhas. Neste domingo tem início o Grand Prix, com 12 equipes mistas inscritas

O Campeonato Brasileiro Interclubes - Troféu Brasil de Judô reuniu 396 judocas de todo o Brasil em dois dias de disputas que se encerraram neste sábado, 21, no Ginásio do Cruzeiro, em Brasília, consagrando clubes tradicionais do judô nacional e abrindo portas para novas agremiações. Ao fim, judocas de 17 times subiram ao pódio da principal competição interclubes de judô.

A partir deste domingo, 22, eles voltarão a se enfrentar, dessa vez, na disputa por equipes mistas do Grand Prix Nacional de Judô, que contará com 12 clubes. Em 2018, o time do Instituto Reação venceu o Pinheiros na final e ficou com o título inédito do evento que, até 2017, era disputado de forma separada. Uma etapa feminina e outra masculina. Sogipa e Minas completaram o pódio com bronzes em 2018. As preliminares serão neste domingo, no ginásio do Cruzeiro, e a final na segunda-feira, no ginásio do Sesi, em Taguatinga, a partir das 12h30.

Aléxia Castilhos foi uma das campeãs do Troféu Brasil. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

Com força máxima no Troféu Brasil, o Pinheiros conquistou o maior número de medalhas, totalizando 17 pódios. O segundo clube com mais medalhas foi o Minas Tênis Clube, que também veio para Brasília com o time principal e faturou 10 pódios.

Judocas da seleção, medalhistas olímpicos, mundiais e pan-americanos como Rafael Silva "Baby" (+100kg), Maria Suelen Altheman (+78kg), Larissa Pimenta (52kg) e Gabriela Chibana (48kg), ao lado de jovens como Kainan Pires (66kg) e Camila Ponce (78kg) conquistaram as seis medalhas de ouro que colocaram o Pinheiros em primeiro, tanto entre as mulheres, quanto entre os homens.

"Estou muito feliz por conquistar meu terceiro título. O Pinheiros sempre me acolheu e dedico essa medalha a eles", comemorou Pimenta após garantir o ouro em vitória sobre Yasmim Lima, do Instituto Reação.

Outros clubes tradicionais, como Minas, Sogipa e Reação também mantiveram-se no topo do judô nacional com medalhas de ouro entre as 14 categorias em disputa. Seus títulos vieram com Tamires Crude (57kg/Reação), Guilherme Schimidt (81kg/Minas), Aléxia Castilhos (63kg/Sogipa) e Leonardo Gonçalves (100kg/Sogipa). Schimidt, que foi revelado pela Academia Marques Guiness, do Distrito Federal, transferiu-se recentemente para Belo Horizonte e conquistou o título com direito a vitória sobre os campeão dos Jogos Pan-Americanos de Lima, Eduardo Yudi, na semifinal.

"Estou muito feliz de poder lutar em casa com essa torcida formada por meus parceiros de treino. Só tenho a agradecer meu clube pela confiança. Meu foco é o Mundial Júnior. Estou treinando duro para conseguir um resultado lá. Essa conquista é mais um passo na minha carreira", afirmou Schimidt.

O Troféu apresentou também clubes que surgem ou ressurgem como forças no cenário nacional. Casos da Associação Desportiva São Caetano, campeã do peso médio feminino com Amanda Oliveira (70kg), do carioca Jequiá Iate Clube, que levou o título dos médios masculinos com Cleyanderson Oliveira (90kg), e também do Clube Paineiras do Morumby, que arrematou dois ouros, com o ligeiro Allan Kwabara (60kg) e o leve Eduardo Katsuhiro (73kg).

Os demais clubes que saíram com medalhas do Troféu Brasil foram Sesi (SP), Grêmio Náutico União (RS), Sociedade Morgenau (PR), Club Athletico Paulistano (SP), Ass. Yamazaki de Judô de São José dos Campos (SP), A.A.D. MESC São Bernardo (SP), Associação CIA do Judô (PE), Aos. Esporte Sem Fronteiras do Brasil (MG), David Moura Academia de Judô (MT) e Judô Praia Grande (SP).

 

 

 


Fonte: Confederação Brasileira de Judô

Saúde & Bem Estar

More Articles

Tecnologia

More Articles