Daniel Martins é tri e Thalita Simplício fatura o ouro nos 400m no Mundial de Dubai

Após quatro dias de competições nos Emirados Árabes, Brasil acumula dez medalhas na competição, em segundo lugar no quadro de medalhas da competição, atrás apenas da China

Pelo quarto dia consecutivo, o Brasil ocupa o segundo lugar do quadro-geral de medalhas do Campeonato Mundial de Atletismo Paralímpico. O país já coleciona dez medalhas: seis de ouro, duas de prata e duas de bronze. Dois desses ouros vieram em provas de 400m neste domingo, 10.11.

O paulista Daniel Martins foi o campeão da distância na classe T20, para deficientes intelectuais. Esta foi a terceira vez consecutiva que o mariliense, também campeão paralímpco, sobe ao ponto mais alto do pódio em Mundiais. O outro ouro veio com a potiguar Thalita Simplício que, guiada por Felipe Veloso, desbancou a favorita chinesa Cuiqing Liu para triunfar na classe T11.

Daniel Martins estabelece vantagem para garantir o ouro e o tricampeonato mundial nos 400m livre. Foto: Daniel Zappe/Exemplus/CPB

A China permanece na liderança do quadro de medalhas, com nove ouros, dez pratas e cinco bronzes e soma 24 pódios. Na sequência do Brasil vem a Ucrânia, com suas 13 conquistas (cinco ouros, quatro pratas e quatro pratas). A competição é realizada no Dubai Club for People of Determination desde a quinta-feira, 7, e segue até 15 de novembro. A Seleção Brasileira conta com 43 atletas entre os 1.400 inscritos de 120 países.

"A prova foi maravilhosa. Ainda não acredito que a gente foi campeão mundial. Estou muito feliz porque a gente trabalhou o ano todo para isso"
Thalita Simplício
O primeiro ouro brasileiro do domingo veio com Thalita. Ela chegou à prova com o status de mais rápida das eliminatórias, mas a chinesa Cuiqing Liu era a líder do ranking mundial e recordista do mundo. E a oriental partiu na frente. Por mais de três quartos da prova ela liderou e parecia confirmar o favoritismo histórico.

Porém, Thalita arrancou nos últimos 50 metros e, junto a seu guia Felipe Veloso, deixaram a rival para trás. A dupla brasileira foi campeã com 56s86, enquanto os chineses chegaram em 58s19. O bronze foi para a tailandesa Suneeporn Tanomwong (1min00s69). A paraense Jhulia Karol, guiada por Laércio Martins, concluiu em quarto, três centésimos depois.

"A prova foi maravilhosa. Ainda não acredito que a gente foi campeão mundial. Estou muito feliz porque a gente trabalhou o ano todo para isso. A chinesa cresceu desde 2015, então viemos com o objetivo de passar ela", disse Thalita.

Thalita nasceu com glaucoma. Aos 12 anos, tornou-se totalmente cega. Ela sempre praticou esportes: natação, caratê e goalball. Ela começou no atletismo aos 15 anos em um projeto do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Thalita Simplício celebra o ouro ao lado de seu guia após a prova dos 400m para deficientes visuais. Foto: Daniel Zappe/Exemplus/CPB

Já Daniel Martins largou na raia quatro e precisou de pouco mais de 50 metros de prova para alcançar a liderança. Quando apontou na reta final, no último quarto da prova, tinha o total controle da situação. Concluiu em 47s62, quatro centésimos mais rápido do que dois anos atrás, no Mundial de Londres, até então o recorde da competição.

"Consegui acertar a saída. Errei na eliminatória ontem [sábado]. Não estava 100% preparado. Eu planejo cada ciclo como escada. O degrau mais alto são os Jogos de Tóquio e já garanti a vaga. Agora vou aproveitar e amanhã venho assistir aos amigos", comentou Daniel.

Natural de Marília, no interior de São Paulo, Daniel foi diagnosticado com deficiência intelectual por apresentar dificuldade no aprendizado. Em 2013, ingressou no atletismo paralímpico. O velocista fez sua estreia em competições no Mundial de Doha, em 2015, quando faturou a medalha de ouro nos 400m. Sagrou-se campeão paralímpico no Rio 2016 e repetiu o feito no Mundial da modalidade no ano seguinte, em Londres.

Programação

Nesta segunda-feira, quinto dia de Campeonato Mundial em Dubai, o campeão paralímpico e recordista mundial do lançamento de disco da classe F56, Claudiney Batista, volta a participar de uma edição da competição, após ficar de fora de Londres 2017.

Dubai representa a terceira aparição do atleta do mineiro de Bocaiúva em Mundiais. Tanto em Lyon 2013 como em Doha 2015 ele subiu ao pódio. Em agosto, ele foi campeão do Parapan-Americano de Lima no disco. Ele também lidera o ranking mundial, com 45,69m. O indiano Yogesh Kathuniya é quem mais se aproxima de Claudiney no ranking de 2019 (44,47m).

Ao todo, 24 brasileiros devem competir nesta segunda-feira. Um terço destes em finais. Além de Claudiney, o campo também reserva a participação de Raíssa Machado, campeã do Parapan-Americano de Lima no lançamento de dardo. Na temporada 2019, ninguém foi melhor do que ela até agora no circuito internacional. Os 23,96m que alcançou em abril deste ano, durante o Open Internacional Loterias Caixa, no CT Paralímpico, em São Paulo, é o melhor lançamento do mundo em 2019. A segunda melhor marca é da alemã Martina Willing (21,73m), que rivalizará com a baiana nesta segunda-feira.

Atual campeão mundial dos 400m da classe T11, o capixaba Daniel Mendes e seu guia Wendel Silva, disputam a final, ao lado de Felipe Gomes e Jonas Alexandre de guia, também perfilarão juntos na pista nesta final.

Resultados dos brasileiros neste domingo, 10.11, em Dubai:

Finais
400m (T20): Daniel Martins - ouro
400m (T11): Thalita Simplicio - ouro
400m (T11): Jhulia Karol – 4º lugar
400m (T47): Fernanda Yara – 6º
100m (T13): Rayane Sores – 4º lugar

Eliminatórias
400m (T11): Daniel Mendes – 3º lugar*
400m (T11): Felipe Gomes – 4º lugar*
100m (T12): Viviane Ferreira – 3º lugar*
100m (T12): Gabriela Mendonça – não completou a prova
100m (T47): Washington Júnior – 1º lugar**
100m (T47): Petrucio Ferreira – 2º lugar**
100m (T47): Yohansson Nascimento – 3º lugar**
100m (T12): Fabrício Ferreira – 4º lugar**
100m (T12): Kesley Josué – 6º lugar**
100m (T12): Joeferson Marinho – 5 lugar**
100m (T36): Rodrigo Parreira – 15º lugar
*Classificado para final
**Classificado para semifinal

Programação desta segunda-feira, 11.11 (horário de Brasília):

Madrugada

2h06 – Raissa Machado, final do lançamento de dardo (F56)
2h09 – Joeferson Marinho, 100m (T12)
2h17 – Kesley Josué, 100m (T12)
2h25 – Fabrício Ferreira, 100m (T12)
3h24 – Mateus Evangelista 100m (T37)
3h32 – Christian da Costa, 100m (T37)
3h59 – Edson Cavalcante, 100m (T38)
4h15 – Lorena Spoladore, 100m (T11)
4h23 – Thalita Simplicio 100m (T11)
4h39 – Jerusa Geber, 100m (T11)
5h03 – Fernanda Yara, 100m (T47)

Tarde
11h03 - Claudiney Batista, final do lançamento de disco (F56)
11:44 - Viviane Ferreira, final dos 100m (T12)
12h02 - Daniel Mendes e Felipe Gomes, final 400m (T11)
12:54 – Gabriela Mendonça, 200m (T12)
13h05 – Viviane Ferreira, 200m (T12)
13h16 – Ketyla Teodoro, 200m (T12)

 

 

 


Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

Saúde & Bem Estar

More Articles

Tecnologia

More Articles