Brasil faz melhor campanha parapan-americana da história

Ano também foi de mundiais de natação e atletismo

O esporte paralímpico brasileiro teve um ano excepcional em 2019, alcançando marcas como a melhor campanha em uma edição dos Jogos Parapan-americanos e a segunda posição no mundial de atletismo de Dubai (Emirados Árabes Unidos).

Parapan de Lima
Disputado oficialmente desde 1999, os Jogos Parapan-americanos têm agora o Brasil como o dono da melhor campanha de todos os tempos com 308 medalhas (124 ouros, 99 pratas e 85 bronzes). Essa foi a quarta vez seguida que a delegação verde e amarela liderou o quadro de medalhas.

Atletas brasileiros comemoram medalhas conquistadas no Parapan de Lima - Rodolfo Vilela/ rededoesporte.gov.br

A marca anterior era do México, que, em casa na primeira edição, havia conquistado 307 pódios (121 ouros, 105 pratas e 81 bronzes).

“A meta interna no Comitê [Paralímpico Brasileiro] sempre foi superar os números de Toronto. Não só em medalhas, mas queríamos estar em mais finais, trazer a maior delegação, ter mais mulheres, contar com o maior número possível de atletas de classes baixas. Sempre apostando muito nos jovens. E acho que tudo isso foi alcançado”, disse Alberto Martins, diretor técnico e chefe da missão brasileira em Lima, após o final do Parapan.

Destaques
Quase metade das conquistas brasileiras vieram das piscinas. A equipe da natação somou 127, sendo 53 ouros. Há quatro anos, em Toronto, o Brasil conseguiu 104 medalhas, com 38 ouros. No halterofilismo, liderou com folga o quadro de medalhas. Foram 16 conquistas, seis de ouros. Em Toronto, o Brasil ganhou oito medalhas na modalidade.

Nadadora Carolina Santiago estreia com medalha de ouro nos Jogos Parapan-americanos de Lima - Ale Cabral /CPB

Mundial de Atletismo
Outro evento no qual o país teve uma ótima performance foi o Mundial de Atletismo Paralímpico realizado no Dubai Club for People of Determination, em Dubai (Emirados Árabes Unidos).

Na competição, os atletas brasileiros garantiram a segunda posição no quadro geral de medalhas, a melhor campanha do Brasil em uma edição do evento.

Petrúcio Ferreira conquistou dois ouros no Mundial de Dubai - Divulgação/Comitê Paralímpico Brasileiro

Em Dubai, a delegação brasileira (formada por 43 atletas) conseguiu o total de 39 medalhas (14 ouros, 9 pratas e 16 bronzes), atrás apenas do time da China, com 59 conquistas (25 ouros, 23 pratas e 11 bronzes).

A melhor campanha do Brasil até então havia sido em Lyon (França) em 2013, oportunidade na qual terminou na terceira posição da classificação, com o total de 40 medalhas (16 ouros, 10 pratas e 14 bronzes).

Natação em Londres
A terceira grande competição da qual os atletas paralímpicos brasileiros participaram nesta temporada foi o Mundial de Natação Paralímpico, realizado na piscina do Parque Olímpico de Londres (Inglaterra).

O Brasil encerrou o evento com o 11º lugar no quadro de medalhas, com 17 no total (cinco ouros, seis pratas e seis bronzes). A primeira posição foi da Itália.

Projeção para Tóquio 2020
Estas competições podem ser vistas como prévias da próxima edição dos Jogos Paralímpicos, que acontecem em Tóquio, em 2020.

João Vítor Teixeira celebra ouro na prova do arremesso de peso no Mundial de Dubai - ALE CABRAL/CPB

Segundo o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), a delegação em Tóquio terá entre 350 e 400 pessoas, sendo aproximadamente 250 atletas.

É bom lembrar que na última edição dos Jogos, no Rio de Janeiro em 2016, o Brasil finalizou a sua participação na oitava posição, com 72 medalhas (14 ouros).

 

 

 


fonte: Por Fábio Lisboa - Jornalista da TV Brasil Rio de Janeiro
Edição: Verônica Dalcanal

Saúde & Bem Estar

More Articles

Tecnologia

More Articles