Brasil perde Gerson Victalino, atleta que mais vestiu a camisa da seleção de basquete

Entre mundiais, olimpíadas e Jogos Pan-Americanos, Copas Américas e Sul-Americanos, foram 93 partidas. Atleta morreu aos 60 anos, vítima de Esclerosa Lateral Amiotrófica

O basquete brasileiro perdeu um gigante nesta quarta-feira, 29 de abril. Gerson Victalino, jogador que mais vezes vestiu a camisa da Seleção Brasileira, faleceu na madrugada, aos 60 anos, em Minas Gerais, vítima de Esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença contra a qual o ex-pivô lutava há anos.

 

O pivô Gerson atuou 63 vezes com a camisa da seleção, entre Jogos Pan-Americanos, Olimpíadas e Mundiais. Foto: CBB
Gerson iniciou no basquete aos 18 anos, mas primeiro se destacou no futebol por conta de sua altura. Fez sua estreia como profissional em 1979, pelo Ginástico, em Minas Gerais. Em 1981, atuou pela primeira vez na Seleção Brasileira, no Sul-Americano, sob comando de Claudio Mortari, anotando sete pontos na vitória sobre o Chile por 100 x 43, em Montevidéu, e se consolidou como o atleta que mais vezes vestiu a camisa do Brasil. A despedida foi nos Jogos Olímpicos de 1992, no jogo que decidiu o quinto lugar para o país diante da Austrália, com 14 pontos. Entre Olimpíadas, Mundiais, Copas Américas, Sul-Americanos e Jogos Pan-Americanos, Gérson fez 93 partidas em torneios FIBA pela Seleção Brasileira.

O ex-atleta defendeu Monte Líbano, Corinthians, Lençóis Paulista, Jales, Manresa-ESP, Sport-PE e Remo, onde se aposentou em 2002. Pelo Brasil, Gerson esteve em quadra no título do inesquecível Pan de Indianapólis 1987, diante dos Estados Unidos. A geração de ouro de 1987, nos EUA, reuniu, além de Gerson, outros ícones da modalidade, como Oscar, Marcel, Cadum, Rolando, Guerrinha, Pipoka, Paulinho Villas Boas e Israel. Um time inesquecível comandado pelo técnico Ary Vidal, que protagonizou, com a vitória por 120 x 115, a primeira derrota da história da seleção norte-americana de basquete em casa. Um dos pivôs do time, Gerson anotou 12 pontos naquela ocasião. Gerson jogou três Olimpíadas, em Los Angeles 1984, Seul 1988 e Barcelon 1992. Vestiu a camisa do Brasil de 1981 a 1994.

O secretário Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, emitiu uma nota de pesar em função da morte do atleta: "A Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania recebeu com enorme tristeza a notícia da morte de Gerson e lamenta a perda de um de nossos grandes atletas. Registramos nosso agradecimento por tudo o que Gerson fez pelo esporte brasileiro e pelo exemplo que deixou de amor ao basquete. Registramos aqui também nossa solidariedade com familiares, amigos e fãs".

 

 

 


Fonte: rededoesporte.gov.br, com informações da Confederação Brasileira de Basquete (CBB)

Saúde & Bem Estar

More Articles

Tecnologia

More Articles