Tribunal anula suspensão de 28 atletas russos

Corte Arbitral do Esporte aponta insuficiência de provas de doping e abre caminho para que atletas punidos pelo COI participem de Jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul.


Decisão da CAS reverte punição aplicada ao Comitê Olímpico da Rússia pelo COI

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) admitiu nesta quinta-feira (01/02) "por insuficiência de provas" os recursos de 28 dos 42 atletas russo que o Comitê Olímpico Internacional (COI) havia suspenso por violação de regras antidoping nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014.

A decisão abre a possibilidade de estes atletas participarem dos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang, na Coreia do Sul, com início no dia 9 de fevereiro. A CAS considerou que as provas existentes contra eles eram insuficientes para puni-los pelo uso de substâncias proibidas.

Os atletas russos eram suspeitos de terem se beneficiado de um sistema de doping institucionalizado entre 2011 e 2015, apoiado pelo governo. O escândalo fez com que a Rússia fosse banida dos Jogos de Inverno deste ano.

Além de terem suas punições suspensas, os atletas terão restituídos os resultados esportivos que conquistaram nos últimos Jogos de Inverno. "A respeito destes 28 desportistas, são admitidos os recursos, anuladas as sanções e restabelecidos seus resultados individuais em Sochi 2014", afirmou o CAS em nota.

Entre os 28 esportistas absolvidos pela CAS estão campeões ou vice-campeões olímpicos como Olga Fatkulina (patinação), Dmitry Trunenkov e Alexey Negodaylo (bobsled) e Aleksandr Tretiakov (skeleton). No total, são quatro atletas de bobsled, cinco de skeleton, oito de esqui cross-country, quatro de patinação de velocidade, dois de luge e cinco de hóquei sobre gelo.

A CAS acatou parcialmente outros 11 recursos, determinando que as provas contra alguns atletas são claras, mas mantendo a suspensão apenas para os Jogos de Pyeongchang.

"Em 11 casos, as provas eram suficientes para determinar uma violação das regras. Confirmam-se as decisões tomadas pelo COI, com uma exceção: os desportistas são declarados inelegíveis para a próxima edição dos Jogos de Inverno, em vez de receber uma proibição vitalícia para todos os Jogos Olímpicos", afirmaram os juízes.

Os 42 desportistas haviam sido punidos por uma Comissão Disciplinar do COI, a chamada Comissão Oswald, que concluiu que todos participaram da manipulação de amostras de urina feitas durante os Jogos de Sochi. Segundo a Comissão, a partir disso cabia inferir que tinham consumido substâncias ilegais. Moscou nega que um programa de doping estatal existiu.

A suspensão do Comitê Olímpico da Rússia (COR) dos Jogos de Inverno de 2018 por doping de Estado foi anunciada pelo COI em dezembro. A decisão baniu a participação do país em Pyeongchang mas permitiu que os atletas russos participassem de maneira neutra, sem bandeira ou hino nacionais, "sob o nome de ‘atletas olímpicos da Rússia' e sob a bandeira olímpica", como afirmava o comunicado do COI.

 

 

 

 


fonte: DW
RC/lusa/efe

Saúde & Bem Estar

More Articles

Tecnologia

More Articles