Brasil vence Alemanha em reencontro após 7 a 1

Em último amistoso antes das convocações para a Copa do Mundo na Rússia, seleção brasileira marca 1 a 0 contra a atual campeã mundial. Vitória em Berlim vem quase quatro anos após goleada na semifinal da Copa no Brasil.

Único gol da partida foi marcado por Gabriel Jesus aos 37 minutos do primeiro tempo

O Brasil venceu a Alemanha por 1 a 0 no aguardado amistoso em Berlim nesta terça-feira (27/03), o último antes das convocações para a Copa do Mundo na Rússia. Quase quatro anos após a goleada de 7 a 1 na semifinal da Copa de 2014, as duas seleções voltaram a se enfrentar.

O único gol da partida foi marcado por Gabriel Jesus aos 37 minutos do primeiro tempo, com ajuda do goleiro alemão Kevin Trapp, que, ao tentar defender a cabeçada do atacante brasileiro, acabou colocando a bola para dentro. Foi o nono gol de Jesus com a camisa da seleção – todas as vezes que ele marcou, o Brasil venceu.

Quando abriu o placar, Jesus tinha acabado de perder a melhor chance do jogo até então: ao receber de Willian, o camisa 9 deu um drible no alemão Jérôme Boateng, deixando-o no chão, mas acabou chutando por cima do gol. Ele estava impedido, mas a arbitragem não marcou.

Após um primeiro tempo equilibrado e sem acréscimos, a segunda grande chance de gol do Brasil veio aos 9 minutos do segundo tempo, com uma finalização de Paulinho defendida pelo goleiro Trapp.

O ritmo da partida caiu quando o técnico Joachim Löw começou a fazer substituições, a fim de completar a lista de jogadores da Copa. Ao todo, a Alemanha substituiu cinco atletas, enquanto o Brasil mexeu apenas em um.

Com a derrota, vista por mais de 72 mil pessoas no Estádio Olímpico de Berlim, a Alemanha interrompe uma série de 22 partidas invictas. Uma vitória ou empate nesta terça-feira quebraria o recorde anterior da seleção, conquistado entre os anos de 1978 e 1980.

Em entrevista após a partida, o técnico Tite elogiou a marcação brasileira durante o jogo. "A pressão na saída de bola alemã foi impressionante. Tiramos muitas bolas do Kross, que é o articulador. Foi uma marcação alta, agressiva", disse ele ao jornal Folha de S. Paulo.

O treinador também mencionou a falta que Neymar faz no time, mas frisou que a "equipe está aprendendo a ser forte sem ele". O jogador está se recuperando de uma cirurgia no pé, mas deve estar de volta à seleção brasileira durante a Copa.

Sobre o fantasma do 7 a 1, Tite afirmou que a vitória desta terça-feira proporcionou um "sentimento de resgate de autoestima" e "um pouco de orgulho próprio" ao time brasileiro, mas não apaga a goleada sofrida em 2014. "Não é agora que vencemos que o 7 a 1 vai deixar de ser falado", declarou.

Escalação

Os dois times encararam a partida desta terça-feira de forma completamente distinta. O Brasil foi a campo com força máxima, com Fernandinho no lugar de Douglas Costa para dar mais consistência ao meio-campo. Essa foi a única alteração no time que venceu a Rússia por 3 a 0 na sexta-feira passada em Moscou.

Completam a escalação de Tite os jogadores Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda, Marcelo, Casemiro, Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Gabriel Jesus. Quatro deles estavam em campo no 7 a 1: Marcelo, Fernandinho, Paulinho e Willian.

Ao chegar a Berlim, Tite já ressaltara importância emocional do duelo. "É o jogo contra o campeão mundial, que nos venceu por 7 a 1. Foi uma etapa que passou, e agora estamos num período de reconstrução. Vai ser emocionalmente importante enfrentar a Alemanha. Traz esse componente emocional", disse o técnico.

Por outro lado, na Alemanha, o tom era de que o jogo não seria nada além de um amistoso – um teste importante contra um adversário forte para preparar a equipe e tirar dúvidas em torno da convocação para o Mundial na Rússia.

O treinador Joachim Löw inclusive dispensou dois nomes certos na Copa e que estiveram em campo na derrota por 7 a 1 no Mineirão: Thomas Müller e Mesut Özil.

Além disso, foram várias as alterações em relação ao time que empatou em 1 a 1 com a Espanha na sexta-feira passada em Düsseldorf. Uma delas foi a escolha do zagueiro Boateng para atuar pela primeira vez como capitão do time, na ausência de Sami Khedira, capitão contra a seleção espanhola e homem de confiança do técnico alemão.

Nesta terça-feira, Löw escalou como titulares Kevin Trapp, Marvin Plattenhardt, Julian Draxler, Toni Kroos, Antonio Rüdiger, Boateng, Joshua Kimmich, Leroy Sane, Ilkay Gündogan, Mario Gomez e Leon Goretzka.

Próximos jogos

O duelo desta terça-feira foi o último amistoso antes do anúncio dos 23 convocados de cada seleção para a Copa do Mundo na Rússia. A lista deve ser divulgada em maio.

Antes de estrear no Mundial, que começa em 81 dias, o Brasil ainda tem dois amistosos: em 3 de junho contra a Croácia, e em 10 de junho contra a Áustria.

Já a Alemanha joga contra a Áustria em 2 de junho e contra a Arábia Saudita em 8 de junho, também em amistosos.

 

 


fonte: DW
EK/dw/ots
Freundschaftsspiel Deutschland gegen Brasilien (Reuters/F. Bensch)