Chapecoense renasce, um ano após a tragédia

Do luto ao recomeço: em 12 meses, clube remonta equipe, solta o grito de campeão e chega a liderar o Brasileirão. Em ano de tributos, Chapecoense tem (re)encontro com Atlético Nacional e volta de Alan Ruschel aos campos.

No ano seguinte à tragédia, guerreiros de Condá disputam oito competições, são campeões estaduais e podem garantir vaga na Libertadores

O maior acidente da história da aviação envolvendo uma equipe esportiva completa um ano nesta terça-feira (28/11). Na noite de 28 de novembro de 2016, o voo 2933 da LaMia que levava a delegação da Associação Chapecoense de Futebol para sua primeira final internacional caiu nas montanhas de Antioquia, próximo à cidade colombiana de Medellín. O clube brasileiro enfrentaria o Atlético Nacional pelo jogo de ida da decisão da Copa Sul-Americana.

A tragédia causou a morte de 71 ocupantes: 19 jogadores, 14 da comissão técnica (incluindo o treinador Caio Júnior), 20 jornalistas, nove dirigentes (entre eles o presidente do clube, Sandro Pallaoro), dois convidados e sete tripulantes. Seis sobreviveram: os atletas Alan Ruschel, Neto e Jackson Follmann, o jornalista Rafael Henzel, a comissária Ximena Suárez e o técnico de voo Erwin Tumiri.

 

 


fonte: DW