Alunos dos 4º e 5º anos também vão participar da Olimpíada de Matemática

Apenas crianças e jovens do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do médio podiam competir. Com a mudança, número de inscritos pode crescer em 5,2 milhões

Alunos do 4º e 5º ano vão participar da Obmep

A competição para as duas novas séries participantes já foi testada no Rio de Janeiro, com participação de 16,3 mil estudantes

Alunos dos 4º e 5º anos do ensino fundamental de escolas públicas municipais, estaduais e federais vão poder participar da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A ampliação do público da competição, que antes era do 6º ano do fundamental ao 3º ano do médio, foi anunciada na terça-feira (11) pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

De acordo com o Ministério da Educação, com a inclusão dessas séries, o número de inscritos poderá subir de 18,2 milhões de crianças e jovens para 23,4 milhões. O órgão lembra que a Obmep alcança praticamente todos os estudantes do sexto ano do ensino fundamental ao último ano do ensino médio e, desde 2017, inclui os de escolas particulares.

Ainda de acordo com o MEC, a competição para as duas novas séries participantes já foi testada no Rio de Janeiro em 30 de agosto, com participação de 16,3 mil alunos. Os demais estudantes do Brasil recebem as provas em 30 de outubro e vão responder a 20 questões objetivas. A inscrição, gratuita, deve ser feita pelas secretarias municipais, estaduais e por representantes das escolas federais até 10 de outubro no site da Obmep.

Sobre a Obmep
A Olimpíada de Matemática é um projeto criado em 2005, a exemplo de outros países, para estimular o estudo da matemática e identificar talentos na área. Anualmente, estudantes de escolas públicas e privadas participam da competição em duas etapas: prova objetiva de múltipla escolha, aplicada a todos os inscritos do País, e prova discursiva, destinada aos selecionados na primeira fase.

Entre os objetivos da Obmep estão também contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica; estimular o ingresso de jovens em universidades, em especial nas áreas científicas e tecnológicas; incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas públicas e promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento.

O projeto é organizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e promovido com recursos do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

 

 

 


Fonte: Governo do Brasil, com informações do MEC e do Mctic
Foto: Arquivo/Prefeitura de Blumenau

Saúde & Bem Estar

More Articles