Temer troca comando da Polícia Federal

Presidente escolhe para chefiar organização Fernando Segóvia, nome considerado bem aceito no meio político e que enfrentou resistência da própria associação de delegados e de seu antecessor.


O presidente Michel Temer nomeou nesta quarta-feira (08/11) Fernando Segóvia para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal (PF). O delegado substituirá Leandro Daiello, que estava havia quase sete anos no comando do órgão.

O Ministério da Justiça anunciou a troca após uma reunião entre Segóvia, Temer e o ministro da Justiça, Torquato Jardim. Na nota que anunciou a mudança, o governo agradeceu ainda a dedicação de Daiello durante os anos que esteve no comando da PF.

Daiello foi nomeado na gestão do ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, em 2011, e esteve à frente da Operação Lava Jato. Ao assumir o ministério, em junho, Torquato Jardim já dava sinais que não manteria Daiello no cargo.

Daiello também havia manifestado o interesse de deixar o cargo. O ex-diretor da PF, no entanto, seria contra a indicação de Segóvia para seu lugar. O novo diretor-geral também não foi apoiado pela Associação Nacional de Delegados da Polícia Federal (ADPF).

Temer anuncia a escolha de Segóvia, candidato avaliado pela mídia brasileira como bem aceito no meio político, menos de um mês após a votação que pôs fim à denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra ele.

Segóvia tem 22 anos de carreira na PF. Foi superintendente regional do órgão no Maranhão e adido policial na África do Sul. Ele é ligado ao ex-presidente José Sarney e, segundo o jornal Folha de São Paulo, teria buscado apoio no Congresso e no governo para a nomeação.

Leia mais: A Lava Jato depois de Curitiba

 

 

 


fonte: DW
CN/abr/ots