O que se sabe sobre o novo coronavírus na China

Doença já deixou 26 mortos, entre centenas de infectados. Para tentar conter o surto, país asiático suspendeu conexões de transporte público, isolou cidades, fechou pontos turísticos e cancelou eventos.

Imagem mostra dezenas de pessoas com máscaras. Algumas portam malas
Wuhan, metrópole de 11 milhões de habitantes, é o epicentro da doença e está isolada

O número de mortos em decorrência do novo coronavírus subiu para 26 e o de infectados pela doença chegou a quase 900, segundo informaram nesta sexta-feira (24/01) autoridades da China. O epicentro é a cidade de Wuhan, metrópole de 11 milhões de habitantes.

Autoridades chinesas monitoram mais de 9,5 mil pessoas que tiveram contato com alguns dos infectados, sendo que mais de 8,4 mil seguem em observação.

Para tentar conter o surto, conexões de transporte público foram suspensas, cidades foram isoladas, pontos turísticos foram fechados e eventos, cancelados, inclusive várias festividades do Ano Novo chinês que ocorreriam neste sábado.

A seguir, confira o que se sabe até agora sobre a nova doença.

O que se sabe sobre o vírus?

O novo coronavírus, batizado provisoriamente de 2019-nCoV pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda está sendo estudado. O primeiro alerta para a doença foi emitido pela OMS em 31 de dezembro de 2019, após autoridades chinesas notificarem casos de uma misteriosa pneumonia na cidade de Wuhan.

Os coronavírus foram descobertos na década de 1960, e o nome deriva de seu formato, semelhante a uma coroa. São vírus de RNA extremamente adaptáveis e geneticamente diversos. Eles podem se espalhar facilmente e infectar espécies diferentes.

Enquanto alguns coronavírus provocam resfriado comum, outros podem evoluir para doenças mais graves, causando dificuldade de respirar, pneumonia e até morte.

Em 2002 e 2003, por exemplo, o agressivo coronavírus SARS-CoV levou a uma epidemia em 30 países. No mundo, mais de 8 mil pessoas foram infectadas e cerca de mil morreram. Em 2012, o Coronavírus da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) foi descoberto na Península Arábica.

Como o vírus é transmitido?

Já foi confirmado que o novo coronavírus pode ser transmitido entre humanos, mas ainda não está claro como. Embora muitos outros coronavírus sejam transmitidos por tosse e espirros, até o momento não se sabe se esta também é a forma de transmissão do novo vírus.

As primeiras infecções foram detectadas na cidade chinesa de Wuhan e remontam a um mercado de animais selvagens e peixes, que agora foi fechado. O vírus pode ter sido transmitido através do contato direto entre humanos e animais, ou simplesmente através do ar.

Os vírus que podem se espalhar entre humanos e animais causam as chamadas doenças zoonóticas. Eles podem ser transmitidos quando humanos consomem carne ou produtos de origem animal, por exemplo, se não forem suficientemente aquecidos ou se forem preparados em ambiente insalubre.

Quais são os sintomas?

Os sintomas são, em muitos casos, parecidos com os de uma gripe, como febre, cansaço e dificuldade para respirar. O vírus também pode causar pneumonia.

A doença é mais comum em idosos. Segundo o Comitê Nacional de Saúde da China, homens com mais de 50 anos e com algum problema de saúde anterior representam mais da metade das vítimas. A idade média dos mortos é de 75 anos.

Que países já registraram a doença?

Fora da China, o Comitê Nacional de Saúde do país informou que duas das três pessoas que contraíram o vírus na Tailândia se curaram, assim como uma no Japão. Além disso, foram registrados casos na Coreia do Sul, nos Estados Unidos, em Cingapura e no Vietnã. Há também um caso em Taiwan, mas o governo da China considera a região como uma província do país e, por isso, inclui os números da área dentro do balanço nacional.

O que está sendo feito para interromper o surto?

Passageiros que vêm das regiões afetadas são vistoriados e examinados em aeroportos americanos e europeus e em vários centros de transporte público na Ásia.

Caso o surto seja declarado uma emergência internacional de saúde pública, isso pode significar restrições para viagens internacionais, verificações mais rigorosas nas fronteiras e criação de centros de tratamento especiais, além de áreas de quarentena.

A grande maioria dos infectados se concentra em Wuhan. Por isso, a cidade está construindo um novo hospital, com mil leitos, especialmente para tratar infectados pela doença. Ele deve começar a funcionar no começo de fevereiro. Atualmente, os infectados estão sendo isolados e tratados em 61 hospitais.

Wuhan e outras cidades na província chinesa central de Hubei estão em quarentena. As ligações de transportes públicos foram amplamente cortadas, afetando cerca de 41 milhões de pessoas.

O governo chinês fechou parte da Grande Muralha da China e outros famosos pontos turísticos para impedir a propagação do vírus. A Disney em Xangai também fechará as portas a partir deste sábado, e o Cirque du Soleil cancelou seus shows em Hangzhou até novo aviso.

Inúmeros eventos em comemoração ao Ano Novo chinês, que ocorreriam neste fim de semana, foram cancelados. Mesmo assim, centenas de milhões de pessoas viajaram para seus locais de origem para comemorar a data em família, o que aumenta a chance do vírus se espalhar.

 

 

 

 


fonte: DW
LE/efe/dw/lusa/afp

Curiosidades da história

More Articles